Quarta, 12 de Junho de 2024
15°C 32°C
Corrente, PI
Publicidade

Murilo Mascarenhas mostra habilidade política na sua sucessão em 2024

Prefeito atraiu os seus dois adversários da eleição de 2020

19/01/2024 às 13h36 Atualizada em 02/02/2024 às 19h00
Por: Alessandro Guerra
Compartilhe:
Murilo Mascarenhas/ Foto: Alessandro Guerra
Murilo Mascarenhas/ Foto: Alessandro Guerra

O Prefeito de Corrente, Murilo Mascarenhas (PP), mostra grande habilidade política ao moldar o jogo de sua própria sucessão. De alguma maneira, ele redefiniu sua aliança política, ampliando-a, e também desenhou, direta ou indiretamente, a movimentação dos adversários.

O jogo de 2024 deverá ser disputado entre Filemon Paranaguá, Edilson Nogueira, Terto e Ronaldo Fonseca. Não vai sair disso.

O rearranjo político formulado por Murilo Mascarenhas gerou riscos, porque poderia afastar aliados que colaboraram para sua vitória em 2020. Mas, quem faz política não pode recear correr riscos.

Na nova engenharia política, numa poderosa recriação das alianças, Murilo Mascarenhas atraiu para seu lado o PSD do ex-prefeito Filemon Paranaguá, da senadora Jussara Lima, do deputado federal Júlio César que apoiam incondicionalmente Filemon; o MDB do deputado estadual, João Mádison e do vice-governador Themístocles Filho. Os dois partidos não participaram da campanha de Murilo em 2020. Portanto, não é apenas dois partidos que estão chegando agora. O prefeito fechou aliança com Filemon Paranaguá e Natan Santana que foram seus adversários na disputa anterior, que juntos somaram 8 mil votos, e os três nomes somam juntos 15.143 votos.

Com a nova aliança, ao definir o jogo mais cedo, Murilo contribuiu para endossar o posicionamento do governador Rafael Fonteles, que tem dito que municípios que tiver dois ou mais candidatos da base, ele não interferirá, e nesse caso, Filemon não só votou no governador, como também é filiado em um partido governista.

PSD, MDB e PP caminharão juntos com Murilo Mascarenhas?

O PP já está definido e já indicou o vice, João Vitor que se filiará em breve a sigla, para a chapa majoritária. O jovem que tem a total confiança do prefeito, comanda umas das maiores pastas do município, a secretária de infraestrutura, além de representar o eleitorado jovem, que é grande no município.

O PSD, se firmou com Filemon Paranaguá como pré-candidato a prefeito. Desde o início o prefeito e o ex-prefeito conversavam com frequência e Filemon nunca pediu um cargo nem propôs negócios à gestão pública, o que prova o (caráter republicano dos diálogos), jogou limpo com o prefeito.

O MDB indicará a chapa de vereadores.

O fato é que Murilo conquistou o apoio de dois partidos sólidos, com estrutura e líderes respeitados.

Há aliados de Murilo que dizem: “O prefeito definiu sua aliança muito cedo”. Estão equivocados. Definiu no tempo certo, inclusive para forçar a oposição a apresentar seu próprio jogo. Forçou-a se posicionar aqueles que estavam ao seu lado apenas por “apoio administrativo”. Murilo e Filemon vinham conversando há cerca de um ano.  Com essa decisão, o prefeito soube quem estará com quem em 2024. O jogo foi jogado.

A chegada de Filemon à base, provocou certo alvoroço. Mas, com sua indicação tendo sido feita agora, a base política pode assimilá-la aos poucos. Se deixasse para cima da hora, com a tinta da caneta acabando, uma recomposição seria muito mais difícil.

Outros dizem que Murilo perdeu líderes e vereadores, não se perde o que não tem, o único apoio político que ele perdeu foi do irmão Ribeiro, e dos vereadores Gustavo Lemos e Naira Nogueira. Na eleição passada os Vereadores Eduardo Lobato, Adélia Corado e o ex-vereador Riva, não lhe acompanharam. Outro fato: os seus pré-candidatos a prefeito, até então, João Vitor, Dionizio Júnior, Natan Santana e Gutão, permaneceram no grupo, saiu apenas Ronaldo Fonseca e Dr, Natan, ou seja, de 6 nomes, perdeu apenas dois.

Murilo provou desprendimento, acima de projetos individuais, como político inteligente e homem que trabalha com pesquisas, o prefeito sabe, como poucos, que política se faz com todos, e não necessariamente com aqueles de quem se gosta. Ora, se Filemon lidera as pesquisas, é um nome que tem o recall da última eleição, tem a chance de aniquilar a participação do governador, contribuindo para enfraquecer a oposição, por que ficar contra a aliança? Trata-se de uma questão de lógica, e certamente é o que o gestor municipal disse aos líderes locais e dirá aos líderes do seu partido no estado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias