domingo, 16 de dezembro de 2018
(89) 999 743 718
Polícia

14/11/2018 ás 12h09 - atualizada em 18/11/2018 ás 22h43

Alessandro Guerra

Corrente / PI

Justiça realiza audiência de três homicídios ocorridos em Corrente
Justiça ouviu defesa e acusação dos casos: PM Gilson Luiz, Jânio Wesdras e Gilson Reis
Justiça realiza audiência de três homicídios ocorridos em Corrente
Foto: Alessandro Guerra

A Justiça de Corrente realizou na última terça-feira (13), audiências de instrução de três homicídios ocorridos no município. A audiência começou por volta das 13:30h, no fórum Desembargador José Messias Cavalcante, no bairro Nova Corrente.


Gilson Luiz de Araújo, Jânio Wesdras Maia Gomes e Gilson Reis Ribeiro


Caso PM Gilson Luiz


A primeira audiência foi do caso do policial militar Gilson Luiz de Araújo, morto no dia 31 de outubro no loteamento conviver, no bairro Nova Corrente. Mikael Marques Silva, 26 anos, e um menor de 16 são acusados do crime.


O juiz Carlos Marcelo Sales Campos ouviu a testemunha que estava com o policial no dia do crime. E dois policiais militares que trabalharam na ocorrência.


A testemunha chave do caso, alega que quem atirou no PM foi um rapaz alto, que no caso, seria o menor. Este nega e põe a culpa no maior, que por sua vez devolve. O juiz pediu a internação provisória do menor na capital Teresina- PI.


Caso Jânio Wesdras


A segunda audiência foi do caso do jovem Jânio Wesdras Maia Gomes, 16 anos, morto no dia 14 de julho deste ano no bairro Aeroporto. De acordo com as informações do inquérito policial, o jovem discutia com um homem em uma seresta em um bar por causa de quatro reais, quando o primo Suaique Pereira dos Santos, 21 anos, tentou apartar a discussão, o jovem saiu e retornou com um canivete, e teria desferido no braço de Suaique, que devolveu.


Suaique, disse em seu depoimento que não tinha a intenção de matar o primo, alegou que desferiu os golpes de canivete nas costas e na perna da vitima para conseguir se soltar.


Familiares e amigos de Jânio Wesdras


“Estamos cobrando Justiça, que ela seja feita. Perdi um filho de 16 anos, criança, estudante, fazia cursos, não mexia com ninguém, um menino exemplar, amigo de todo mundo, acabou com minha vida e da minha esposa”. Disse o pai da vitima, James Maia Quirino.


Caso Gilson Reis Ribeiro


Por último já à noite ocorreu à audiência do caso Gilson Reis Ribeiro, 37 anos, ele foi morto dia 15 de outubro de 2017, as margens da PI- 255, no bairro Aeroporto.


Cleberson Ribeiro Lima, (Dam), 25 anos e seu pai Paulino da Silva Lima, são os acusados pelo crime. Além de Gilson, o irmão Geneilton e o pai Edmilton também foram feridos.


Em depoimento a policia de Goiás, quando capturado ainda no ano passado, Dam confessou o crime, mas negou a participação do pai, alegou defesa e, disse se arrependido. “Foi eu. Meu pai não tem participação, meu pai só estava comigo, ou eu fazia isso ou então ele me matava. Me arrependo”.


Já Paulino afirmou também se arrepender da situação. “Me arrependo demais, porque eu pedia a Deus para eles parar com isso”.


“Vai fazer um ano e dois meses que eu perdi o meu filho, um pedaço de mim, ainda hoje espero a justiça e nada. Era um cidadão e pai de família que teve a vida tirada covardemente”. Disse Irene Orácio dos Reis Ribeiro.


 Foram ouvidas testemunhas de defesa e acusação, os acusados não estiveram presentes a audiência.


Familiares e amigos de Gilson Reis Ribeiro


Depois que todas as testemunhas e os réus forem ouvidos, o Ministério Público e as defesas terão um prazo para apresentar as alegações finais.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium