Segunda, 20 de agosto de 2018
(89) 999 743 718
Polícia

04/04/2018 ás 23h40 - atualizada em 05/04/2018 ás 12h08

Alessandro Guerra

Corrente / PI

Justiça realiza audiência do caso do Cigano acusado de matar esposa em Corrente
O acusado afirmou que não tinha a intenção de matar a esposa, alegou ainda que os disparou foram motivados por uma reunião de “coisas” que passavam pela sua cabeça
Justiça realiza audiência do caso do Cigano acusado de matar esposa em Corrente
Vianês Pereira Lustosa finalizando seu depoimento

A Justiça realizou na manhã desta quarta-feira (4) audiência de instrução sobre a morte de Miquéisa Silva de Carvalho, de 27 anos, morta com dois tiros nas costas, na  localidade Simplício, zona rural do município de Corrente. O marido dela, Vianês Pereira Lustosa, de 33 anos, é acusado do crime. De acordo com os autos processuais a vitima foi morta na frente da mãe e de seus filhos.


Vianês Pereira Lustosa chegou ao local usando roupas de detento, camisa branca e bermuda azul e sandália. O acusado permaneceu de cabisbaixo durante a audiência. Familiares da vitima estavam travestidos com uma blusa com a frase “Queremos Justiça".


Familiares de  Miquésia Silva de Carvalho


Pela primeira vez o acusado falou sobre o crime, ele alegou que não teve a intenção de matar a esposa, afirmou que disparou contra o chão com a intenção de assustar a vitima, alegou ainda que os disparou foram motivados por uma reunião de “coisas” que passavam em sua cabeça. 



 Miquésia Silva de Carvalho


A mãe de Miquésia, afirmou está revoltada com a justificativa do acusado, e declarou  esperar que a justiça seja feita em favor de sua filha. “Não é fácil enfrentar de cara a pessoa que cometeu esse crime bárbaro. Essa justificativa dele não é verdadeira. Ela não merecia morrer da forma como ela morreu. Eu como mãe o que espero da justiça é que ela seja feita.” Afirmou Gisele.


Para a defesa, Vianês foi motivado por transtorno para a prática do crime, informou que vai solicitar uma pericia médica e se comprovado algum transtorno vai enveredar pela tese da inimputabilidade. “Na verdade esse crime é um crime bárbaro não tenha dúvida. Eu acredito que realmente a pessoa para a prática desse delito é necessária que ela esteja imbuída de um certo transtorno, porque ele não só tirou a vida dela, como ele também poderá ter complicado bastante, acabado com a vida dele também”. Declarou Ruben Candeira de Albuquerque ao Portal Alessandro Guerra.


O próximo passo do processo é a apresentação de argumentos de acusação e defesa. Logo após o juiz irá preceder ou não ao Tribunal do JúriA audiência teve inicio por volta das 10h e finalizou por ás 14h, no Fórum Desembargador José Messias Cavalcante. Além do réu, o juiz Carlos Marcelo Sales Campos, ouviu também os depoimentos das testemunhas de defesa e acusação.


Reelembre o caso; https://www.reporteralessandroguerra.com/noticia/1076/mulher-morre-apos-ser-baleada-por-companheiro-no-municipio-de-corrente

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium