Sexta, 15 de dezembro de 201715/12/2017
Banner topo
89

999 743 718

CIDADES
MPF ajuíza ação civil pública contra o INSS por atraso em pericias médicas em agências no Sul do Piauí
O MPF concluiu que a demora na realização de perícias demonstram uma situação crítica, de completa inoperância
Alessandro Guerra Corrente - PI
Postada em 21/10/2017 ás 15h27 - atualizada em 02/11/2017 ás 18h57
MPF ajuíza ação civil pública contra o INSS por atraso em pericias médicas em agências no Sul do Piauí

Após verificar a demora nos procedimentos e controles realizados para a concessão de benefícios por incapacidade no que tange à atividade pericial no INSS, em três agências no sul do Piauí, o Ministério Público Federal, PRM Corrente, através do procurador Humberto de Aguiar Junior, ajuizou ação civil pública contra o Instituto Nacional do Seguro Social- INSS, com pedido de tutela de urgência, a fim de investigar de resguardar direitos dos usuários.


O juiz federal Jamyl de Jesus Silva, acolheu parcialmente o pedido de tutela de urgência, apenas para determinar à autarquia previdenciária que no prazo de 30 dias, por seus órgãos competentes, analise e decida sobre a viabilidade do credenciamento de médico para a APS de Corrente.


Na contestação o INSS informou, que o tempo médio de espera para a perícia médica nas agências de Curimatá, 39 dias em março e 38 em abril; Cristino Castro, 70 dias em março e 68 em abril; Corrente, sem indicador, porque não realiza perícias, atualmente os usuários são obrigados a se deslocar ate a cidade de Curimatá, a 130 Km de distância, sobrecarregando a agência vizinha,  que conta apenas com  dois peritos. Informou ainda que os prazos citados estão acima da média nacional, que é de 33 dias.


O MPF concluiu que os dados apresentados pela gerência executiva relativo ao tempo médio de espera para realização de perícia demonstram uma situação crítica, de completa inoperância das agências de previdência social no interior do Estado do Piauí. Entendeu também que o padrão ideal é o de que o prazo de perícia seja de 15 dias, e que se mostra inaceitável quando excede 45 dias.


Diante da situação, o procurador pediu a concessão automática do benefício, após 45 dias do requerimento, determinação de publicação de edital de credenciamento de médico, no prazo de 30 dias, fornecimento gratuito de transporte, uma vez por semana, ou ressarcimento de valor, implementação, em 30 dias, nas APS, da recepção da documentação médica do segurado, a fim de viabilizar a analise do requerimento nas hipóteses previstas no Art. 75-A do Regulamento da Previdência Social.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium